SERVIÇOS

ESTUDOS DE DISPERSÃO ATMOSFÉRICA (EDA)

A modelagem da dispersão é a principal ferramenta para simular o processo de transporte de poluentes na atmosfera, sendo amplamente utilizada para auxiliar no monitoramento e controle da poluição do ar ocasionados pelas fontes emissoras, como também para licenciar a instalação de novos complexos industriais.

Modelos regulatórios de dispersão atmosférica

Os modelos regulatórios possuem metodologia padronizada por agências ambientais de todo o mundo para apresentações de resultados, de simulações e avaliação de impactos ambientais.

A QualityAmb é fornecedora global de modelos de dispersão atmosférica e líder brasileira no uso prático de AERMOD, CALPUFF e outros modelos de dispersão.

Fornecemos computação de alto desempenho, através de infraestrutura de modelagem em cluster, economizando horas de processamento computacional, permitindo análises mais detalhadas e conclusões mais rápidas dos projetos.

Modelos fotoquímicos de dispersão atmosférica

A QualityAmb também oferece modelos de dispersão mais sofisticados como CMAQ e WRF-Chem, capazes de tratar transporte de poluentes, mistura e transformação química de gases e aerossóis.

Diferentemente dos modelos regulatórios (Calpuff e Aermod), os modelos CMAQ e WRF-Chem proporcionam ainda a avaliação da dispersão de ozônio, preconizado como um dos poluentes detentores de padrão de qualidade do ar no território brasileiro.

Cenário de modelagem – CMAQ

Modelo receptor

Os modelos de receptores são procedimentos matemáticos ou estatísticos para identificar e quantificar as fontes de poluentes do ar a partir de um ponto receptor.

Ao contrário dos modelos de dispersão atmosférica, os modelos receptores não utilizam dados de emissão de poluentes, dados meteorológicos ou mecanismos de transformação química para estimar a contribuição das fontes para as concentrações nos receptores. Em vez disso, os modelos de receptores utilizam as características químicas e físicas dos gases e das partículas medidas na fonte emissora e no receptor, tanto para identificar a presença de cada contaminante como para quantificar as contribuições das fontes nas concentrações encontradas nos receptores.

Estes modelos são, portanto, um complemento natural de outros modelos de qualidade do ar para identificar as fontes que contribuem para a poluição atmosférica.

A QualityAmb possui uma gama de modelos desenvolvidos pela USEPA como o Balanço Químico de Massa (CMB), UNMIX e o método de Fatoração de Matriz Positiva (PMF) para uso na gestão da qualidade do ar.

Balanço de Químico de Massa (CMB) – usa perfis de fonte e dados ambientais especificados para quantificar as contribuições da fonte. As contribuições são quantificadas a partir de fontes-tipos quimicamente distintas e não de emissores individuais. Fontes com propriedades químicas e físicas semelhantes não podem ser distinguidas entre si pela CMB.

UNMIX – “desmonta” as concentrações de espécies químicas medidas no ar ambiente para identificar as fontes contribuintes. Os perfis químicos das fontes não são necessários, mas são gerados internamente a partir dos dados ambientais pelo UNMIX, usando uma formulação matemática baseada em uma forma de análise fatorial. Para uma determinada seleção de espécies, a UNMIX estima o número de fontes, as composições da fonte e as contribuições da fonte para cada amostra.

Fatoração de Matriz Positiva (PMF) – é uma forma de análise fatorial onde a co-variabilidade subjacente de muitas variáveis, descrita por um conjunto menor de fatores ao qual as variáveis originais estão relacionadas. A estrutura da PMF permite a utilização máxima dos dados disponíveis e um melhor tratamento dos valores faltantes ou abaixo do limite de detecção.

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp